quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O de sempre

Por que as coisas que parecem ser tão fáceis para outras pessoas, são tão difíceis pra mim? Por que eu sempre tenho que por defeitos nas coisas boas, ou sempre ver tristeza aonde há felicidade? E além de tudo, o por que eu não consigo me aceitar da maneira que eu nasci? Me dói ao ver as pessoas bonitas, e felizes por saber que eu não sou assim. Porque a história do ''falta um pedaço de mim" ainda está de pé, infelizmente. Eu faço as coisas, sem pensar, por puro descontrole, e depois me arrependo. A frase que eu mais tenho ouvido é "Toma juízo e ve se presta atenção e pensa antes de fazer." Será que adianta? Não. Eu continuo errando, errando por burrice, por insegurança, por medo, por descontrole. E depois a dor do arrependimento toma conta de mim. E assim é, sucessivamente. Uma gigantesca montanha russa, que sobe e desce, fazendo meu cérebro já desorganizado enlouquecer cada vez mais. E é cansativo essa repetitiva ida e vinda de sentimentos. Eu fico triste, e me sinto incapaz de atingir meus objetivos. Me sinto um lixo, incapaz de qualquer coisa. "Tudo está em ordem dentro de um buraco negro"